Plano de Saúde Vitalício para Aposentados: entenda como funciona

O direito à vitaliciedade do plano de saúde para aposentados decorre de lei e exige o atendimento a requisitos específicos.




Antes da explicação, vejamos o que diz a Lei dos Planos de Saúde – Lei nº 9656/98 – em seu art. 31:


Art. 31. Ao aposentado que contribuir para produtos de que tratam o inciso I e o § 1o do art. 1º desta Lei, em decorrência de vínculo empregatício, pelo prazo mínimo de dez anos, é assegurado o direito de manutenção como beneficiário, nas mesmas condições de cobertura assistencial de que gozava quando da vigência do contrato de trabalho, desde que assuma o seu pagamento integral.

Muita informação? Calma, vamos analisar.


Conforme se depreende da leitura do dispositivo acima, é direito do aposentado, demitido sem justa causa, a continuidade do plano de saúde, desde que tenha contribuído com o pagamento do plano de saúde enquanto era empregado por mais de dez anos.

Atendidas estas exigências, é assegurada manutenção do plano nas mesmas condições de cobertura usufruída quando era funcionário ativo, mediante o pagamento do valor integral de sua mensalidade.


COMO SABER SE ATENDO AOS REQUISITOS?


Conforme mencionado acima, a manutenção do plano de forma vitalícia exige os seguintes requisitos:

- Que não tenha tido demissão por justa causa

- Que o funcionário tenha contribuído para o pagamento do plano (isto é, tenha tido desconto em holerite/folha de pagamento)

- Que a contribuição tenha ocorrido pelo período mínimo de dez anos


E SE O TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO FOR MENOR QUE DEZ ANOS?


Nestes casos, é possível se obter a continuidade do plano de saúde por período proporcional ao período de contribuição, por força do art. 31, § 1º:


§ 1º Ao aposentado que contribuir para planos coletivos de assistência à saúde por período inferior ao estabelecido no caput é assegurado o direito de manutenção como beneficiário, à razão de um ano para cada ano de contribuição, desde que assuma o pagamento integral do mesmo.

Deste modo, para cada ano de contribuição o beneficiário terá direito a um ano de manutenção do plano.


E SE O PLANO DE SAÚDE QUISER CANCELAR E NÃO SEGUIR COM A MANUTENÇÃO?


Atendidos os requisitos já mencionados, não há razão para que a Operadora negue a continuidade do plano de saúde. Nestes casos, o aconselhado é apresentar seu caso para um advogado especializado em direito à saúde, a fim de que sejam analisadas as melhores estratégias para fazer valer seu direito.


AINDA COM DÚVIDA?


Persistindo dúvida, estamos à disposição para esclarecê-la! Entre em contato conosco:

E-MAIL: nathalia.puente@outlook.com

TELEFONE / WHATSAPP: 11 94108-3607